Rotação de Culturas

O que é?

Rotação de culturas é uma técnica agrícola que alterna, de maneira ordenada e planejada, pelo menos, três diferentes culturas em uma mesma área. Essa prática tem como objetivo amenizar o desgaste do solo provocado pelo cultivo recorrente de uma única cultura em um mesmo local, prática conhecida como monocultivo.

Além da preservação física, química e biológica dos solos, a rotação de culturas auxilia na reposição da matéria orgânica, facilita a adubação (em alguns casos) e promove maior variabilidade genética, o que beneficia a lavoura na eliminação de pragas e doenças. Outro fator de peso é o econômico, pois essa técnica contribui na oferta de uma gama maior de produtos agrícolas no país.

Como fazer?

Para implementar essa técnica é necessário alternar espécies em função dos sistemas radiculares (raízes) – gramíneas e leguminosas, por exemplo. Dessa forma, cada uma delas deixa seu efeito positivo no solo para a cultura sucessora, amenizando, consequentemente, os efeitos da compactação. Portanto, é importante mencionar que as espécies escolhidas devem apresentar, além de vantagem comercial, um propósito de recuperação do solo. Sempre que possível é importante associar plantas de rápido desenvolvimento e que produzam bastante biomassa, pois elas contribuem na cobertura do solo e servindo como adubação verde – cultivadas isoladamente e/ou em consórcio com as culturas comerciais. 

Exemplo:

Vantagens

  • Produção comercial diversificada;
  • Proteção do solo contra a ação de agentes climáticos, aumentando a estabilidade da produção;
  • Dificulta a proliferação de pragas e doenças;
  • Auxílio no controle e na redução de ocorrência de plantas daninhas, doenças e pragas;
  • Reposição da matéria orgânica;
  • Melhoria das características físicas, químicas e biológicas do solo;
  • Viabilização do Sistema de Plantio Direto;
  • Aumento da produtividade.